domingo, 13 de fevereiro de 2011

Spaghetti à carbonara todo mundo conhece, certo?


Sempre fui fã de um carbonara. Aprendi uma receita com uma grande amiga, ainda na adolescência, e vivia pedindo em restaurantes também. Mas meu queixo caiu quando provei o prato em Roma, na minha lua de mel. Fomos a um lugarzinho muito gostoso, perto do Forum, e fiquei com cara de boba quando pus a primeira garfada na boca. Não tinha nada a ver com o que eu conhecia. Nem o sabor, nem a textura. 
Essa experiência marcou o resto da viagem e, quando almoçamos em outro lugar que amamos, Antico Forno Roscioli, encontramos um kit carbonara com tooodos os ingredientes embalados para viagem em uma caixa, com receita didática. O kit tinha até meia dúzia de ovos, numa embalagem com um plástico tão reforçado que resolvemos tentar trazer na mala. E chegaram inteiros :-P

Pelo mundo afora, o spaghetti alla carbonara tem sido feito com bacon comum, pancetta, presunto, creme de leite e até ervilha e cogumelos. Mas a versão original só leva spaghetti grano duro, ovos, queijo pecorino (de ovelha, curado), guanciale (bacon da bochecha do porco, que vem com uma camada de pimenta do reino) e pimenta do reino.

Apesar das instruções da receita do Roscioli serem bem claras, a pressão de não ter como repor ingredientes me deixou tensa. Li o folheto mil vezes e também segui o que mandava a embalagem do spaghetti. 

Resumindo, cortei o guanciale em cubos de 1 cm, para fritar. (Eles recomendam que se descarte metade da gordura que soltar da fritura) À parte, bati 4 gemas e um ovo inteiro e depois misturei 2/3 do queijo, que é bem curado e já salgado, então dispensa sal na receita. Com o macarrão ao dente e quente, acrescentei o bacon e a mistura cru de ovo com queijo.  Eu salpiquei duas pitadas de pimenta e o resto do queijo finalizando. (Para a pimenta do reino, que veio em grãos, eles dão uma dica legal. É bom aquecer os grãos numa panela e depois bater com um martelo, pra exalar bastante aroma e realçar o sabor.)

O resultado é um prato que impressiona pela simplicidade. Como é bom! Claro que ter os ingredientes originais é um privilégio (e dura pouco). Acho que tudo bem, nós mortais, usarmos ingredientes alternativos. Um bacon de boa qualidade e um parmesão bacana dão conta do recado. Colocar creme de leite, legumes e temperos extras já complica. A Nigella tá sugerindo o Carbonara para o de Dia dos Namorados. Nem ela preza pela tradição... tsc tsc.

4 comentários:

  1. muito bom, Lu! amei! Parece a receita do João... kkkkk lembra dele fazendo? bjs

    ResponderExcluir
  2. Lembro, sim, claro! :-D Irresistível

    ResponderExcluir
  3. Não vai esquecer de me chamar da próxima vez, hein !!!!!
    Isso deve ter ficado de comer rezando ...

    ResponderExcluir
  4. Deixa comigo. A próxima vez vai ficar melhor ainda!

    ResponderExcluir